Por Antonio Carlos Kreme

 
Tire suas dúvidas – Perguntas e respostas
 

1. Que problemas costumam aparecer na fiação da casa/apartamento ao longo dos anos? 

Partindo da premissa de que as instalações elétricas foram projetadas e implementadas de acordo com as normas em vigência na época de sua execução e considerando que as mesmas são utilizadas adequadamente, sem ‘puxadinhos’ ou sobrecarga, as instalações elétricas apresentam poucos problemas com o passar dos anos. Nestes casos o que acontece é a fadiga natural dos materiais ao longo do tempo. Exemplo disto é o enferrujamento de caixas e ressecamento de fios. Também ocorre o desgaste natural de componentes, como interruptores e tomadas, devido a sua utilização. 

 

2. Quais as principais causas dos problemas?

A primeira causa dos problemas é a falta de um projeto, seguida pela precariedade da execução, que nem sempre segue o que foi projetado ou é mal feita, sem o devido esmero. Em terceiro lugar está a utilização inadequada das instalações elétricas onde o principal vilão é a sobrecarga, ou seja, os usuários ligam mais coisas do que poderiam em uma única tomada ou circuito. 

 

3. Como solucioná-los?

Inicialmente exija um projeto elaborado por profissional habilitado e só contrate a execução com profissionais competentes, sob a supervisão de um engenheiro como responsável técnico. Para comprovar a responsabilidade técnica pelo trabalho efetuado, projeto ou execução, o profissional deve apresentar ao contratante um ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), devidamente acompanhado de seu respectivo comprovante de pagamento e de cópia da carteira do CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), documentos tais que oficializam e vinculam o engenheiro ao serviço prestado, fazendo com que ele responda civil e criminalmente em caso de problemas. Este documento funciona de certa forma como um ‘certificado de garantia’.

 

4. Qual a média de custo, quem deve ser contratado?

Trabalhos com energia elétrica envolvem profissionais e materiais que não são tão baratos. Ainda assim os custos são relativos e dependem do ‘tamanho’ do problema e da capacitação do profissional contratado. No mercado estão disponíveis muitos curiosos, que podem até cobrar baratinho, mas que nem sempre resolvem o problema e, em alguns casos, além de não resolverem o problema original ainda criam ou inventam outros. Pode-se procurar um profissional eletricista para os problemas mais simples, neste caso prefira alguém indicado por um amigo ou conhecido. Para casos mais complexos o correto é chamar um engenheiro eletricista, pois ele tem condições de analisar a questão de maneira completa e indicar uma solução com melhor custo/benefício. Este é o tipo de negócio em que vale o ditado: “O barato sai caro.”

 

5. Como avaliar a rede elétrica da casa ou apartamento quando for comprar (principalmente imóveis antigos)? O que deve ser observado? É preciso chamar um profissional?

A avaliação é feita com base nas normas em vigência, bem como nas boas práticas de trabalho (execução). Deve-se levar em conta também a ‘idade’ das instalações elétricas pois isto vai indicar se ela dispõe, p. ex., de dispositivos que protegem as pessoas contra choques e de componentes que protegem os equipamentos contra queima. Neste caso somente um engenheiro com experiência em instalações elétricas pode lhe dar um parecer confiável. 

 

6. Qual a diferença das redes antigas para as novas?

A principal diferença está baseada no avanço da tecnologia. As instalações novas utilizam materiais mais confiáveis, resistentes e precisos, além de dispor de equipamentos que não existiam no passado, como p. ex.: os disjuntores DIN (brancos), que são mais rápidos e precisos; os dispositivos DR (Diferencial Residual), que protegem as pessoas contra choque elétrico; e os DPS (Dispositivo de Proteção contra Surtos), que protegem os equipamentos contra queima na ocorrência de ‘picos’ vindos da rede elétrica. 

 

7. Em quais casos vale a pena fazer manutenção e troca da rede? Como é feita, como é planejada?

Este parâmetro só pode ser dado por um engenheiro eletricista, depois de uma vistoria nas instalações elétricas, contudo não é difícil saber que uma instalação precisa de reforma quando notamos que ela já não funciona bem ou está fora de ordem. Na média quase todas as instalações que hoje tem 25 anos ou mais devem ser revisadas ou trocadas. Mesmo as instalações relativamente novas, com cerca de 10 anos, já tem algo a ser atualizado. A norma NBR 5410/04 (norma de instalações elétricas), desde 2.004 passou a exigir, dentre outras coisas, que todas as instalações elétricas disponham, p. ex., de DR (dispositivo Diferencial Residual), equipamento que protege as pessoas contra choque elétrico. É como um up-grade de computador. A execução é feita com base em um projeto de reforma aliado a um detalhado planejamento para que tudo corra ordenadamente e dentro do prazo. 

 

8. Como prevenir problemas na rede elétrica doméstica? (materiais, instalação, planejamento, compatibilidade, etc.)

Além de contratar projeto e execução com profissionais competentes, durante a utilização das instalações elétricas são necessários alguns cuidados. Utilize sempre materiais e equipamentos certificados evitando ao máximo os de procedência duvidosa ou muito baratos. Se for preciso ligar mais de um equipamento em uma mesma tomada use uma régua com fusível, que serve para proteger a tomada utilizada contra sobrecarga. Se perceber que as instalações apresentam qualquer irregularidade chame um profissional. Não faça adaptações ou ‘gambiarras’, problemas nas instalações elétricas são a segunda maior causa de incêndios no estado de São Paulo (fonte: Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo).

 

9. Casas e apartamentos novos podem apresentar problemas? Quais? Como resolvê-los, como evitá-los?

Infelizmente não são poucas as empreiteiras e construtoras que não entregam as instalações elétricas em conformidade com as normas, pois é prática em nosso mercado fazer terceirização, quarteirização e até ‘sexterização’ dos serviços, o que faz com que o profissional que de fato executa as instalações não esteja tão preparado quanto o desejável e muitas vezes, por questões de despreparo ou custo, não siga o projeto em sua totalidade. Muitos também esbarram num problema cultural e sequer contratam um projeto e confiam a qualquer pessoa a execução das instalações. Para evitar dores de cabeça futuras, exija da construtora a apresentação de um projeto e o ART do profissional responsável pelo projeto e pela execução. Se o caso ainda estiver obscuro, contrate um Parecer Técnico com um engenheiro eletricista e exija seus direitos.

 

10. Como evitar acidentes causados pela rede elétrica?

Algumas dicas são importantes para conviver bem com as instalações elétricas. Aqui salientamos algumas:

  • Na rua jamais toque ou se aproxime de fios partidos ou caídos; 
  • Não faça a poda de árvores próximas da rede elétrica. Acione a Prefeitura ou a concessionária de energia elétrica local;
  • Oriente as crianças a empinarem pipas longe da rede elétrica e se a pipa enroscar na rede elétrica não tente tirar ela de lá;
  • Durante uma construção mantenha uma distância mínima de 3 metros da rede elétrica e tenha cautela para não encostar nos fios dos postes materiais condutores como vergalhões de ferro, antenas e réguas de alumínio;
  • Ao instalar uma antena de TV, tenha o cuidado de colocá-la a uma distância segura da rede elétrica para que em caso de queda ela não atinja os cabos dos postes;
  • Se alguém estiver envolvido em um acidente com eletricidade, não se aproxime da pessoa, se for possível desligue a chave geral o mais rápido que puder e chame pelo Corpo de Bombeiros, eles tem treinamento e equipamentos adequados para prestar com segurança o auxílio necessário;
  • Mantenha sempre as instalações elétricas em ordem e instale o fio terra;
  • Evite molhar tomadas e interruptores;
  • Não ligue equipamentos muito ‘fortes’ em uma tomada comum;
  • Se tiver de ligar mais de um equipamento numa mesma tomada utilize uma régua com fusível e evite o uso de benjamins;
  • Tome cuidado para não colocar a mão nas partes condutoras de uma lâmpada quando for trocá-la;
  • Não mude a temperatura do chuveiro enquanto toma banho;
  • Se precisar de manutenção, não seja curioso, isto pode custar um sério acidente com danos físicos e materiais, chame um profissional; 
  • Consulte sempre um profissional. 

 

 

Antonio Carlos Kreme é Engenheiro Eletricista nas modalidades eletrônica e eletrotécnica, com complementação curricular em descargas atmosféricas e pós graduação em matemática e pedagogia.

Revista Casa & Decoração - ed. DEZEMBRO/12 – Revisão 3.

Templates by BIGtheme NET